Estudo da relação entre a geração de resíduos sólidos domiciliares e o consumo de água e energia elétrica: alternativas de tarifação da coleta de resíduos sólidos

Davide Franco, Armando Borges de Castilhos Junior, Karina da Silva de Souza

Resumo


O município de Florianópolis, assim como vários municípios brasileiros, enfrenta dificuldades relacionadas ao financiamento dos custos decorrentes do gerenciamento dos resíduos sólidos, uma vez que a arrecadação através da taxa de coleta de lixo, cobrada junto ao IPTU, é insuficiente para financiar todas as despesas do sistema. Este trabalho tem como objetivo avaliar as relações existentes entre o consumo de água e o consumo de energia elétrica com a geração de resíduos sólidos domiciliares – RSD visando a uma nova base de cálculo para a determinação do valor da "tarifa de resíduos sólidos domiciliares" para o município de Florianópolis. A metodologia utilizada consistiu na pesagem de RSD, leitura do consumo de água e de energia elétrica em dois edifícios residenciais multifamiliares, além da obtenção de dados mensais da geração de RSD e consumo de água e energia elétrica de duas regiões do município. Os dados foram trabalhados estatisticamente por meio de análise de regressão. Os resultados encontrados indicam uma taxa de geração per capita de resíduos sólidos de 0,9 kg/habitante/dia para as regiões estudadas e de 0,6 kg/habitante/dia para os condomínios multifamiliares. Os resultados também mostraram fortes relações entre o consumo de água e o consumo de energia elétrica com a geração de RSD, quando os dados foram tratados de forma agrupada, por faixas de consumo, mostrando ser possível estimar a quantidade de RSD gerada por uma edificação a partir do seu consumo de água ou de energia elétrica.

Palavras-chave


Resíduos sólidos domiciliares; Taxa de geração; Taxa de coleta de resíduos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X